NEXTCAM:

       O modus operandi da NextCam consiste no posicionamento estratégico de câmeras por todo o campo de trabalho, que estão interligadas ao software de inteligência artificial. Esse software irá monitorar a movimentação de pessoas e até de materiais, inclusive verificando se as pessoas autorizadas a permanecer na área monitorada estão com treinamentos em dia.

Além de monitorar, o software produz relatórios precisos, com indicadores que podem ajudar os profissionais de recursos humanos e os responsáveis pela Segurança do Trabalho a atuar em pontos precisos, aumentando a segurança dos trabalhadores.

O empreendimento surgiu como projeto, em 2018; foi o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) dos dois outros sócios. Inicialmente, o foco era a detecção de objetos de imagem com redes neurais. Através de um edital da Universidade de São Paulo (USP), conseguiram dar andamento ao projeto e, a partir disso, foram em busca de problemas que poderiam solucionar com o empreendimento.

Na construção civil viram uma dor que seu projeto poderia solucionar: a falta de uso de EPIs. Em 2019, entraram no ProLìder com o projeto-piloto do empreendimento. Embora tenham enxergado uma dor importante na área de construção civil, por conta de não terem recebido muito retorno, pivotaram e decidiram focar na indústria.

"Pra estruturar o negócio e colocar a nossa solução com mais cara de negócio, nós fizemos várias entrevistas, conversamos com várias pessoas, vimos na construção civil uma falta de soluções e de inovação e insistimos na construção civil, eles esbarraram em vários problemas. Como colocar câmera em obras de infraestrutura, na construção de uma rodovia lá no meio da floresta amazônica.

O projeto foi mais bem aceito na indústria e, atualmente, eles atendem grandes clientes, como a Fiat e a Raízen.
SOBRE ADRIANO E O INÍCIO DA STARTUP

Adriano é um jovem de 27 anos, cursou Engenharia Elétrica na Universidade Federal do Paraná (UFPR). Matemática e física eram o seu forte na escola, e sua curiosidade era o que o movia.

Sua família foi seu maior apoio, dando a ele estudos em boas escolas, o que o ajudou a passar para a faculdade pública. Na UFPR, foi bolsista de projeto de Extensão, momento em que se dedicou a uma pesquisa para definição de critérios para monitoramento do consumo de energia em prédios públicos, visando seu uso eficiente. Além disso, participou do Baja SAE na UFPR (uma competição internacional entre veículos offroad construídos por acadêmicos da área de exatas), do qual participou como integrante do subsistema de eletrônica.

Adriano também estendeu seu campo de aprendizado para fora do Brasil; fez intercâmbio na Alemanha, na Technische Hochschule Ingolstadt - International Automotive Engineering; foi estagiário na Volkswagen, responsável por Planejamento de Série, voltou para o Brasil, em uma Empresa Júnior, em seguida, foi novamente para a Alemanha, para fazer um estágio em uma startup.

Quanto mais trabalhava, mais crescia, dentro de Adriano, o desejo de trazer essa cultura de startup para o Brasil. Guilherme, um dos sócios que trabalhava com ele, também tinha esse sentimento. Eles se conheceram trabalhando na Alemanha, desenvolvendo robôs para Audi. De lá, voltaram com o ideal de empreender. Esse foi o momento em que participaram do Edital da USP com o projeto da NextCam.

O outro sócio era amigo do Guilherme, que participou do TCC com ele. Mais do que uma parceria de TCC, ali se tratava de uma amizade de dez anos. Juntos, eles conduzem o negócio com muita expectativa. O caminho é árduo, mas isso faz parte do início de toda empresa.

O ProLíder é uma realização do Instituto Four.