AYA: DEMOCRATIZANDO O ACESSO À SAÚDE MENTAL

Qual é a sua identidade? O que te impulsiona a levantar todos os dias pela manhã para enfrentar o mundo?

Não ter essas respostas é um, de tantos fatores, que podem trazer uma série de complicações na vida, por anos a fio, levando muitos de nós a apenas existir e cumprir rotinas. O dilema de “ser ou não ser”, muito antes de Hamlet, já fazia muita gente navegar noite afora em rios de lágrimas.

Não há poesia literária em viver essa realidade dentro da própria casa, que foi o que aconteceu com Douglas Vidal, ProLíder 2020, e Pedro, seu sócio. Desde muito cedo, na vida, ele e Pedro conviveram com pessoas muito próximas, de suas famílias, que apresentavam problemas de saúde mental.

Essa foi uma importante “zona de expulsão” para que eles decidissem fazer algo a respeito disso tudo. O empreendedorismo foi o caminho que encontraram.

Empreender nasce da vontade de se resolver problemas. Muitas vezes, somos orientados a olhar para longe e prospectar dificuldades de pessoas, cujas realidades não se conectam com a nossa, diretamente, o que torna o trabalho mais árduo. Outros empreendedores, entretanto, buscam resolver problemas que fazem parte de suas rotinas e da vida de pessoas próximas.
“Com que tipo de informação eu consigo atuar, de um dia para o outro, ou no mesmo dia, para conseguir reduzir meu consumo de energia? Então, hoje, a nossa plataforma mostra dados em tempo real [...], provê informações para tomada de decisão, coisa que uma conta de energia não faz, e só te mostra informação mês a mês, então você não consegue tomar decisões.”
A Preparação para o Desafio
Motivado pela crescente de problemas de saúde mental que o Brasil e o mundo experimentavam, Douglas começou a estudar Psicologia na PUC-RJ. Desde cedo, na faculdade, envolveu-se em projetos extracurriculares que buscavam dar mais oportunidades para jovens ingressarem o ensino superior. Assumiu a gestão do Jovem 021, projeto educacional que atingiu mais de 300 jovens de diferentes municípios do Rio de Janeiro, e foi Diretor Estratégico do Rio Webfest, festival de séries digitais de relevância internacional.

Foi dentro do ambiente universitário da PUC-RJ, onde estuda até hoje, que Douglas criou a Se Acalme, a solução que vislumbrou para ajudar a resolver a epidemia silenciosa de saúde mental que se espalhava pelo Brasil e pelo Rio de Janeiro.

"Desde o início, nós pensamos: 'vender saúde mental e terapia é muito bom, mas como tornar a terapia algo acessível para a galera que não pode pagar por isso?'"

A Se Acalme começou com esse intuito, conectando pessoas a psicólogos, via teleatendimento, em 2019. E não foi fácil começar a empreender: Douglas e Pedro vieram de família humilde, o que significa que nenhum dos dois tinha uma margem de segurança que pudessem “queimar”. Eles precisavam "ganhar a vida" enquanto empreendiam o sonho.

Em 2020, começaram a buscar oportunidades para desenvolver melhor a ideia que haviam criado. Foi assim que entraram em dois processos de aceleração - entre eles, o Shell Iniciativa Jovem - e Douglas entrou no ProLíder.

Quem tem amigos, tem tudo

Com todas as oportunidades oferecidas em 2020, Douglas e Pedro conseguiram fazer a Se Acalme crescer, validando a ferramenta com mais de 600 pessoas. Além disso, também fecharam uma parceria importante com a Shell, em um programa de saúde mental para comunidades quilombolas próximas de áreas da atuação da empresa.

"Começamos a atender a população quilombola pela parceria com a Shell, o que foi superimportante para nós, pois nos conecta com o nosso propósito de fornecer terapia a preço acessível, sem perder a essência de buscar sustentabilidade. Somos um negócio social, mas isso não significa que devemos viver no prejuízo. [...] As pessoas enxergam negócios sociais como empresas que queimam dinheiro, mas a gente tem que pensar projetos sociais como algo sustentável. O próprio Instituto Four é um exemplo disso. [...] Por que a Gerando Falcões está tão grande? Porque a visão deles é de que, apesar de não focar no lucro, eles não aceitam prejuízo. Nós pensamos nisso também: em sustentabilidade."

A visão de Douglas e de Pedro, a longo prazo, é transformar esse processo de oferta de saúde mental, pois, ainda que entendam a importância de cuidar, acreditam fielmente que a prevenção é o melhor remédio Por isso, ele e seu sócio buscam explorar a ideia de psicoeducação - videoaulas para tratar do assunto "saúde mental e emocional" de maneira constante.

Até agora, eles encontraram um nicho atraente: atendimento psicológico direto às empresas, por meio do qual funcionários são tratados. Foi assim que nasceu a parceria com a Shell e com outras empresas. Atualmente, encontraram a fórmula da sustentabilidade da empresa através de saúde mental para corporações a curto prazo. A longo prazo, voltarão suas atenções ao consumidor individual (B2C).

Em 2021, a Se Acalme passou por uma transformação: agora, ela se chama Aya Psicologia. O processo, realizado pela Cosmo Comunicação (parceira do Instituto Four), contribuiu para aprimorar o branding da empresa.

A virada de chave

Douglas acredita firmemente na ideia de transformar o Brasil por meio da saúde mental. E quer fazer isso por meio da Aya, e pela criação de uma cultura e uma equipe disposta a compartilhar esse propósito com ele. E o caminho traçado até aqui não foi fácil.

"Foi preciso ter muita humildade para aprender que eu não sei de nada. Eu já estive no abismo do 'startupeiro' padrão, que é o cara que comprou o sonho que o empreendedorismo vende, que é criar uma solução, um software altamente funcional, que vai prospectar muita gente, ganhar dinheiro e, no final, vender um unicórnio. [...] Todos têm esse sonho, mas aí você entende o mundo real e vê que não é tão fácil."

Mesmo com as dificuldades que enfrentou ao criar o seu negócio social, Douglas vem prosperando com a Aya Psicologia. E ele atribui isso a toda ajuda que vem recebendo de mentores, da sua equipe e das pessoas que compartilham o sonho com ele.

"A capitalização é um caminho relevante e importante, mas não queremos qualquer investidor: a gente quer gente que faça sentido e que também esteja apaixonado por resolver o problema de saúde mental no Brasil.""A capitalização é um caminho relevante e importante, mas não queremos qualquer investidor: queremos gente que agregue com mais do que só dinheiro e que também esteja apaixonado por resolver o problema de saúde mental no Brasil."

Saiba mais sobre a AYA Psicologia

O ProLíder é uma realização do Instituto Four.