AMANA KATU: SISTEMA DE FILTRAGEM DE ÁGUA DE BAIXO CUSTO

A Constituição Brasileira tem, como um dos seus fundamentos, a dignidade da pessoa humana e, entre seus objetivos fundamentais, figuram a garantia de desenvolvimento nacional e redução de desigualdades sociais. 

Não há como pensar na existência de vida humana sem água. Assim, viver uma vida digna é, entre muitas outras possibilidades, ter acesso a água potável. Como nem todo lugar dispõe desse bem universal, faz parte do desenvolvimento de qualquer nação proporcionar meios para que todo cidadão tenha a sua porção de água.

Embora seja um direito garantido por lei, a realidade é muito diferente em inúmeros municípios no Brasil. Há regiões menos desenvolvidas que carecem de infraestrutura mínima para distribuição de água, enquanto, nas grandes metrópoles, é comum o seu desperdício.

É nesse cenário que o time Amana Katu vem fazendo sua parte social, promovendo meios de acesso à água potável para populações da região Norte.

O ARCO QUE PROJETOU O AMANA KATU
Uma ideia sem ação é como um arco sem flecha. (Martin Luther King)

Essa frase foi a inspiração para a criação da logomarca da Enactus, uma Empresa Júnior da Universidade Federal do Pará (UFPA), cuja imagem remete a um arco e uma flecha. Enactus é o berço do Amana Kato; foi lá que o empreendimento surgiu no período em que Noel Orlet, ProLíder 2019, foi estudante de Direito.

É grande a dor do povo amazonense que deseja água potável, pois mesmo sendo um dos lugares que mais recebem chuva durante o ano, no Brasil, a população de lá sofre com a escassez de água potável. Apesar da grande quantidade de água existente, não há água tratada e saneamento básico para todos os que vivem na região.

Com um sistema de captação de água de chuva, o Amana Katu foi lançado como uma flecha por inúmeros municípios do Norte do Brasil, trazendo alento, esperança e fazendo valer o direito à dignidade humana. O negócio social monta e instala cisternas sustentáveis em casas de famílias ribeirinhas.

Atualmente, mais de um milhão de pessoas já foram beneficiadas pela solução do empreendimento, que consiste em uma cisterna equipada com filtros que purificam a água da chuva coletada por meio de calhas e a direcionam para um recipiente. Antes de chegar ao local de armazenamento, a água passa por um dosador de cloro, que libera a substância de acordo com o volume de água que passa por ali. Assim, a água de uso se torna apta para uso doméstico. Há a opção de usar a cisterna com todos esses recursos mais carvão ativado, que torna a água totalmente apropriada, inclusive, para beber.
“O sistema usa, basicamente, três materiais: tubulação, tonéis de plástico e filtros. Os tonéis são reaproveitados da indústria alimentícia, onde eram utilizados para armazenar e transportar azeitonas”, explica Noel em entrevista ao Projeto Draft. 
Até o fim de 2019, foram instaladas 37 cisternas, que atendem diariamente 171 pessoas e já reaproveitaram mais de um milhão de litros de água.

O próximo passo do negócio é contribuir para a agricultura familiar: a empresa está desenvolvendo um sistema de uso de água da chuva para irrigação da lavoura de pequenos produtores. O primeiro protótipo foi instalado em uma escola na periferia de Belém.

Todo esse projeto é desenvolvido com grande parceria da iniciativa privada. Empresas como Mariza Foods, Amanco Wavin, AmBev e outras organizações contribuem para o fornecimento de matéria prima e materiais para tornar o produto mais financeiramente viável. Atualmente, uma cisterna sai a R$ 550, e é possível realizar uma expansão do produto para atender residências e famílias próximas a R$ 250.

UM TIME CAMPEÃO

Desde que entrou para o time Enactus, Noel participa de competições, que têm como objetivo promover a busca por soluções que contribuam para o desenvolvimento na região Norte do Brasil.

São inúmeras as competições de que vem participando, sempre trazendo medalhas para casa e deixando suas pegadas de cidadão consciente e atuante em solos da região amazônica

Com o projeto, venceu a etapa nacional do Global Student Entrepreneur Awards (GSEA), a World Water Race, competição da Enactus de premiação das melhores iniciativas para água e saneamento do mundo; e foi eleito o melhor projeto do mundo no tema de conservação de água do planeta.

Na Enactus World Cup 2021, a UFPA alcançou o segundo lugar no pódio da Race to Rethink Plastic; é semifinalista, com o projeto Gira Sol, na competição pelo Prêmio Alimentação em Foco 2022, da Fundação Cargill.

Noel faz tudo isso por acreditar que o empreendedorismo social é uma das ferramentas mais eficazes para garantir direitos humanos básicos e desenvolver comunidades em situação de vulnerabilidade, de forma social, econômica e ambiental.

Para saber mais sobre o projeto, recomendamos a leitura das matérias a seguir (o texto foi feito com base nestes materiais):

A Amana Katu criou um sistema de baixo custo para filtrar a água da chuva (projetodraft.com)
Estudantes reaproveitam água da chuva com cisterna sustentável (razoesparaacreditar.com)

O ProLíder é uma realização do Instituto Four.